9 de dezembro de 2010

Perdendo noites de sono, perdendo desempenho esportivo...

O desempenho esportivo depende do descanso tanto por razões fisiológicas, como psicológicas. O corpo precisa de descanso para recuperar-se e adaptar-se. O desgaste mental também pode causar queda do desempenho.
Em geral, uma noite de pouco sono ou mal dormida não terá muito impacto no desempenho, mas, quando frequente, pode resultar em mudanças nos níveis hormonais, particularmente naqueles relacionados ao estresse, à recuperação muscular e ao humor. A privação do sono pode levar ao aumento dos níveis de cortisol (hormônio do estresse), à diminuição da atividade do hormônio do crescimento humano (que está ativo durante o reparo tecidual) e à diminuição da síntese de glicogênio (fonte de energia mais utilizada durante o exercício físico).
Portanto, para garantir o rendimento, é preciso conciliar treino, alimentação e uma boa noite de sono.

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

23 de novembro de 2010

Alimentos que auxiliam no combate à ansiedade

“A ansiedade é um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho”. 1
Alguns alimentos podem aliviar os sintomas da ansiedade normal (não patológica). São os alimentos ricos em vitaminas do complexo B (principalmente vitamina B6) e vitamina E.
Dentre os alimentos fonte de vitaminas do complexo B estão: cereais integrais, soja, banana, abacate e repolho. A vitamina E pode ser obtida pela ingestão de nozes, azeite de oliva e demais óleos vegetais.
Além do consumo destes alimentos, é recomendado evitar gordura animal, cafeína , pimenta e gengibre.

Fonte: 1 CASTILLO, Ana Regina GL et al . Transtornos de ansiedade. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo, 2010 .

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

18 de outubro de 2010

Durma bem!

 
Publicada na revista Nutrition Today, a  pesquisa "Slimming Slumber? How Sleep Deprivation Manipulates Appetite and Weight" indica que a privação de sono, a longo prazo, está associada ao desenvolvimento da obesidade e do diabetes tipo 2.
A privação de sono total e parcial pode modular a secreção de hormônios,  modificando a utilização da glicose e a sensibilidade à insulina, a regulação do apetite e o gasto energético de repouso. Dentre os hormônios influenciados pelos padrões de sono estão: insulina, leptina, grelina e hormônio estimulador da tireóide.

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

13 de outubro de 2010

Toda gordura deve ser evitada?

Muitas pessoas acreditam que para ter uma alimentação saudável  e/ou para redução de peso é necessário “cortar” a gordura da dieta. Será?
A gordura está envolvida na produção de hormônios, participa da composição das membranas celulares e, sem ela, não há absorção das vitaminas A, D, E e K.
Portanto, na quantidade certa, ela deve fazer parte da alimentação diária. sendo importante controlar a freqüência do consumo, principalmente, de frituras e da carne vermelha, evitar a ingestão da gordura trans (bolachas, sorvetes e grande parte dos alimentos industrializados)  e privilegiar as “gorduras boas” -  como as contidas nos peixes, na semente de linhaça, no abacate, no azeite de oliva e nas oleaginosas (castanha, amêndoa, noz).
Quem ainda acredita que precisa cortar toda a gordura da alimentação para “secar” a barriga, precisa considerar que a gordura propicia saciedade, evitando  “ataques de fome”.  Também há os benefícios vindos do Ômega 3, uma gordura encontrada em alimentos como salmão, atum, sardinha, cavala e a linhaça, que facilita a transformação do açúcar em energia, estimula a quebra de triglicérides e regulariza os níveis de leptina, favorecendo o controle do apetite.
Lembre-se de que não há dietas milagrosas e sim, o resultado vindo do consumo equilibrado dos alimentos e da prática de atividade física diária.


Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

22 de setembro de 2010

Banana verde auxilia no emagrecimento

Banana verde auxilia no emagrecimento
A banana verde cozida e transformada em um purê, conhecido como biomassa, propicia saciedade e contribui para a saúde do intestino, auxiliando no processo de emagrecimento. O responsável por esses e outros benefícios, como redução de colesterol e melhor controle da glicemia, é o amido resistente da fruta.
O amido resistente é um carboidrato não digerido pelo organismo, que retarda a digestão e absorção dos alimentos e, por esse motivo, aumenta a sensação de saciedade. No intestino grosso, a fermentação do amido resistente nutre as células benéficas da flora, contribuindo para o bom funcionamento intestinal.
A biomassa pode ser usada para fazer pães, bolos, sucos e outros.

Veja a receita extraída do blog VP- Nutrição Funcional (http://www.vponline.com.br/blog):

1. Lave as bananas verdes com casca, uma a uma, utilizando esponja com água e sabão e enxágüe bem;
2. Em uma panela de pressão com água fervente (para criar choque térmico), cozinhe as bananas verdes com casca, cobertas com água por 20 minutos;
3. Desligue o fogo após os primeiros 8 minutos, e deixe que a pressão continue cozinhando as bananas;
4. Espere o vapor escapar naturalmente. Não force o processo abrindo a panela debaixo da torneira, por exemplo;
5. Ao término do cozimento, mantenha as bananas na água quente da panela;
6. Vá aos poucos tirando a casca da polpa, que deve ser passada imediatamente no processador.
É importante que a polpa esteja bem quente, para não esfarinhar;
7. Coloque a quantidade desejada da polpa cozida quentíssima no processador;
2. Processe até obter uma pasta bem espessa;
3. Se não for utilizar imediatamente, guarde a polpa em saco plástico.

Prazo na refrigeração: uma semana

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

20 de setembro de 2010

Sugestão para portadores de alergia alimentar: Viva sem Alergia de Alice Sherwood


 "Traz mais de 100 pratos elaborados sem ovos, sem glúten, sem laticínios e sem oleaginosas -ou sem todos eles, com uma alimentação saudável e saborosa. São orientações fundamentais -da verificação dos rótulos à busca de alternativas- que garantem a segurança necessária na seleção dos alimentos. Ricamente ilustrado, Viva Sem Alergia apresenta menus com sugestões de refeições completas. Todas as receitas foram aprovadas pela instituição britânica Allergy UK"

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

3 de setembro de 2010

A falta de cálcio dificulta o emagrecimento

As últimas pesquisas relacionando o cálcio com a obesidade e/ou com a perda de peso, indicam que este mineral altera a absorção de gordura pelo organismo, sendo capaz de estimular a quebra de gordura e de inibir a formação da mesma.
“O cálcio da dieta é capaz de inibir a lipogênese e estimular o processo de lipólise. Esta ação se intensifica quando esse mineral é obtido por meio da ingestão de produtos lácteos e seus derivados. Por outro lado, estudos in vitro apontam que a ausência de cálcio na dieta promove aumento na concentração do mineral nas células adiposas, favorecendo a lipogênese” (Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr.)
Alimentos ricos em cálcio: leite, iogurte, queijo (prefira as versões desnatadas), figo seco, amêndoas, semente de gergelim, vegetais verde escuros...

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

9 de agosto de 2010

Pimenta para controlar o peso

A capsaicina, substância presente nas pimentas, já vem sendo bastante pesquisada graças a alguns benefícios como: melhora da digestão, do colesterol e alívio de dores de cabeça. Novas pesquisas indicam que essa substância, presente na parte mais esbranquiçada da pimenta, também possui efeito termogênico e promove a diminuição do apetite, ajudando no emagrecimento e no controle de peso.
Para ter efeito, a pimenta precisa ser incluída, frequentemente, em várias refeições ao dia, mas cuidado: ingerida em grande quantidade pode irritar as mucosas e até causar vômito.

Importante lembrar também que indivíduos com gastrite, úlcera ou hemorróidas não devem fazer uso, uma vez que a capsaicina pode agredir as mucosas e agravar esses quadros.
Saiba mais sobre a capsaicina: Capsaicina: da pimenta para usos terapêuticos

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

2 de agosto de 2010

Será que você está alimentando sua memória?

A deficiência de certas substâncias, assim como a ingestão exagerada, principalmente, de gordura saturada (proveniente de alimentos de origem animal), influencia negativamente o desempenho cognitivo e a memória.
Alimentos ricos em açúcar elevam a formação de Ômega 6, um dos responsáveis pelo processo inflamatório, que “envelhece” as células. As gorduras saturadas, as trans e o colesterol também estão associados à inflamação e ao dano de proteínas, as quais afetam o funcionamento do cérebro. Já o álcool, além da perda temporária de memória, pode prejudicar a formação de novas células cerebrais.
Ainda é preciso ficar atento à forma de preparo dos alimentos, pois a queima de queijos e carnes (“crostinha”) libera toxinas prejudiciais à memória.
Além desses cuidados, não deixe faltar na alimentação: frutas (destaque para as vermelhas pela presença de Fisetina), vegetais, peixes e  ovo, pois contêm substâncias que, quando deficientes, desfavorecem os mecanismos do cérebro associados à memória. 

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.      

23 de julho de 2010

Batata doce

A batata doce possui menor índice glicêmico (IG) do que a inglesa. O Índice Glicêmico é um indicador da quantidade de glicose que os carboidratos liberam no sangue. Uma alimentação com baixo a moderado IG promove maior saciedade, auxiliando na perda peso.
A batata doce ainda apresenta cerca de 50 vezes mais betacaroteno (precursor da vitamina A e antioxidante) do que a Inglesa.

Batata doce

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

14 de julho de 2010

O que o chefe tem a ver com a sua dieta

Vida saudável começa com o que se come no horário de trabalho. Isso é o que diz o programa norte-americano Full Yield’s. A nutricionista Zoe Finch Totten, responsável pelo projeto, quer que as empresas ajudem a melhorar a saúde do país por meio da alimentação dos funcionários.
Full Yield’s é um programa de 12 meses de acompanhamento nutricional e físico que pode ser contratado pelas companhias para seus empregados. A bandeira é tornar os trabalhadores mais saudáveis e também o seguro de saúde mais barato. O programa custa US$ 750 por pessoa. Mas a ideia por trás dele é grátis, e pode afetar todo mundo que come na empresa ou com ajuda dela (há empresas que fazem acordo com restaurante próximo, por exemplo, para receber pratos prontos ou para os funcionários terem desconto).
Uma forma menos sofisticada de promover bons hábitos alimentares - e talvez menos invasiva - seria oferecer alimentos saudáveis nas lanchonetes e restaurantes das grandes empresas. Há quatro meses, o resultado de um exame sugeriu que eu passasse a controlar melhor o que como. Tive de mudar a alimentação de forma radical. Nada de carboidrato que não fosse integral, nada de doces nem frituras. Como eu passo a maior parte do tempo fora de casa, foi preciso encontrar opções saudáveis no trabalho e na faculdade. O arroz integral no almoço e os biscoitos integrais da lanchonete viraram vedetes do meu cardápio. Felizmente, o restaurante do trabalho tem opções light e vegetariana. Isso me ajudou muito a adotar uma dieta saudável.
Para qualquer governo, seria ótimo contar com a ajuda das empresas para reduzir a pressão sobre o sistema de saúde pública. Para qualquer empresa, seria ótimo conter o número de faltas e as quedas de produtividade por motivo de saúde, mas forçar uma dieta mais natureba pode diminuir o nível de satisfação entre os funcionários. As chefias deveriam preferir gente trabalhando mais feliz, com acesso fácil a chocolate, salgadinhos fritos e refrigerante? Ou gente trabalhando mais saudável, com acesso limitado a guloseimas? E você, acha que a empresa tem a ver com a sua saúde?
Fonte: Revista ÉPOCA (qua , 14/7/2010 Daniella Cornachione)
http://colunas.epoca.globo.com/trabalhoevida/2010/07/14/o-que-o-chefe-tem-a-ver-com-a-sua-dieta/

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

28 de junho de 2010

Tomar Líquido com a refeição engorda?

Tomar Líquido com a refeição engorda?
Uma boa mastigação envia um estímulo de saciedade ao cérebro, que regula a ingestão dos alimentos. Beber durante a refeição, normalmente, resulta em mastigar menos e de forma mais rápida, favorecendo assim a um maior consumo de alimentos. Por isso, evitar líquidos junto com as refeições principais (almoço/jantar), pode auxiliar o controle da ingestão de alimentos e, consequentemente, o controle de peso.
As pessoas que sentem desconforto abdominal após as refeições também devem evitar ingerir líquido com a comida, pois este dilui o ácido clorídrico e prejudica o processo de digestão, gerando a sensação de estômago pesado.
O ideal é beber água entre as refeições. Até 30 minutos antes ou duas horas depois.

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

14 de junho de 2010

Compulsão Alimentar

"...é importante lembrar que os transtornos alimentares não emergem abruptamente, mas se desenvolvem ao longo de vários anos, a partir de predisposições presentes desde o nascimento do indivíduo, de vulnerabilidades que emergem nas primeiras etapas da vida e de ocorrências mais tardias na sua história."

Interessou-se pelo tema?Visite o site http://compulsaoalimentar.com/

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

7 de junho de 2010

Linhaça Marrom ou Dourada?

Rica em fibras, que promovem a saciedade e o bom funcionamento do intestino e rica, também, em ômega-3 e ômega- 6, os quais oferecem proteção cardiovascular (redução do “colesterol ruim” – LDL), a semente de linhaça vem sendo alvo de muitos estudos - que incluem a diminuição do risco de alguns tumores - e seu consumo cada vez mais difundido.
A introdução da linhaça na alimentação deve ser feita de forma gradual, podendo ser consumida com iogurte, frutas ou sucos.
Na forma de farinha, ela é melhor aproveitada pelo corpo. A casca pode passar intacta pelo trato digestório quando a linhaça é ingerida na forma de semente, portanto, triturada, ela aumenta a biodisponibilidade dos nutrientes.
Como farinha de linhaça oxida facilmente, o ideal é comprar a semente, batê-la no liquidificador e consumi-la em seguida.
A diferença entre a linhaça dourada e a marrom está na casca e não no valor nutricional. A dourada possui a casca mais fina, logo a sua trituração é mais fácil e a biodisponibilidade dos nutrientes maior. Mas se bem triturada, a semente de linhaça marrom é bem aproveitada e não fica atrás da dourada, sendo uma boa escolha considerando a vantagem de preço.



Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

25 de maio de 2010

Sem medo do ovo!!

Tem gente que ainda evita o ovo porque está com o colesterol alto ou por prevenção.
 O ovo não deve ser evitado devido a sua quantidade de colesterol. Apesar da gema ser rica em colesterol, foi comprovado que não causa aumento do nosso colesterol devido à lecitina, substância que evita que essa gordura seja absorvida pelo organismo.
A gema ainda é fonte de proteína, de ferro e tem altas doses de colina, um nutriente que ajuda a proteger o cérebro e a memória.

Saiba mais sobre o ovo no site Instituto Ovos Brasil http://www.ovosbrasil.com.br/cadeia_boletim.php

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

14 de maio de 2010

“Fatorexia”: o gordo que se enxerga magro

"Britânica cria site, publica livro sobre “fatorexia” e espera que o transtorno seja reconhecido pelos médicos. Para Bird, descobrir que você é um “gordoréxico”, como ela apelidou o distúrbio, pode mudar sua vida. “Não porque existe uma fórmula contra isso, mas porque o reconhecimento desta condição pode prevenir o ganho de peso excessivo”, explicou ao Daily Mail."
Confira também o site "Fatorexia": http://www.eatingdisordersuk.co.uk/

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

Alimentação para Corredores

Alimentação que antecede à corrida

A alimentação deve ser de fácil digestão, rica em carboidratos e pobre em gorduras.
Não faça uma alimentação pesada, contendo alimentos gordurosos e/ou muito condimentados. Evite café, álcool e alimentos que possam causar desconforto gastrointestinal como abacate, melão, melancia, nabo, repolho, couve-flor, batata doce...
As refeições maiores devem ser feitas até 4 horas antes da atividade (ex: folhas, legumes,  macarrão ao sugo, filé de frango grelhado e salada de frutas) e as pequenas devem ser feitas até 2 horas antes (ex: leite ou iogurte desnatado, cereal e/ou pão com geleia ou queijo magro e fruta). Já nos últimos 30-60 minutos que antecedem à atividade, a ingestão de carboidrato deve ser feita por meio de frutas ou sucos de frutas, barra de cereais pobre em fibras ou 35-50g de suplemento de carboidrato (acompanhado de água).

Alimentação durante a corrida

Se a ingestão de bebida esportiva for feita de forma adequada, é suficiente para suprir a recomendação de 30 a 60g de carboidrato/hora.


Alimentação após a corrida

Nos primeiros 30 minutos após a corrida, deve-se consumir em torno de 100g de carboidratos de rápida absorção, como maltodextrina, suco de melancia, carboidrato em gel, barras energéticas ou frutas secas. Nas próximas horas, devem-se consumir alimentos como frutas, cereais, pães, leite, dentre outros e, posteriormente, seguir para uma grande refeição com carne grelhada, arroz, salada...
Alimentação para Corredores

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

10 de maio de 2010

Hidratação para Corredores

Não espere sentir sede para ingestão de líquidos durante a atividade física, pois, nesta situação, a desidratação antecede à sede. A água pura não é o melhor líquido a ser consumido durante a corrida. As bebidas esportivas, como GATORADE®, MARATHON® e SPORT DRINK® são mais eficientes, melhorando a absorção do fluido e mantendo o nível de glicose no sangue. Elas devem conter 6 a 8% de glicose e a temperatura para o consumo estar entre 15 a 21 °C.

Antes da corrida
Recomenda-se a ingestão de 400 a 600ml de líquidos cerca de 2-3 horas antes da atividade.

Durante a corrida
Recomenda-se a ingestão de 200 a 400ml (aproximadamente 4 goles) de líquidos a cada 15-20 minutos desde o início da atividade.

Após a corrida
Recomenda-se a ingestão de 150% da perda de peso corporal durante a atividade.

Como determinar seu estado de hidratação?
Observe a coloração da urina e a variação de peso antes e depois da prova:

Estado de Hidratação
% de variação do Peso
Coloração da Urina
Bem hidratado
1
Claro quase transparente
Minimamente hidratado
1 a 3
Amarelo bem claro
Significativamente desidratado
3 a 5
Amarelo escuro
Seriamente desidratado
> 5
Amarelo bem escuro
Adaptado de Casa e colaboradores, 2000

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

4 de maio de 2010

Onde encontrar a "farinha de feijão branco"...

O extrato ou farinha de feijão branco pode ser encontrado nas lojas que vendem produtos naturais, como cereais, ervas... ou pode ser preparado em casa, segundo a receita retirada do site do Globo Répórter:

Lave o feijão com água e seque no sol ou sobre papel toalha. Quando estiver bem seco, coloque no liquidificador e bata o máximo possível. Depois, passe o feijão triturado por uma peneira. Se quiser mais fino, devolva ao liquidificador e peneire novamente.
A parte que sobrar na peneira é a sobra ou farelo. Tem as mesmas propriedades da farinha e pode ser usada em qualquer receita, como, por exemplo, em pães, misturada a farinha de trigo.

Em geral, 1 kg de feijão branco rende aproximadamente 200 gramas de farinha.


Outra possibilidade é a ingestão somente da glicoproteína Faseolamina,em cápsula, comprada na farmácia de manipulação (no máximo 1g/dia).

Veja algumas receitas com a farinha no site do Globo Repórter:
http://g1.globo.com/globoreporter/0,,MUL1215390-16619,00.html

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

29 de abril de 2010

Receita para fazer antes da festa!


Aniversário? Festa de casamento? Almoço especial?
Todos os meses temos comemorações envolvendo alimentos não tão saudáveis e com uma quantidade maior de caloria, preocupando as pessoas que estão cuidando da saúde e do peso. A saída é usar o bom senso e comer com moderação. Além disso, segue uma dica para minimizar a absorção de carboidrato, de gordura , de colesterol e, ainda, proporcionar maior saciedade. Trinta minutos antes destas refeições, ingerir a mistura:

- 200g de iogurte natural desnatado
- 1 colher de sopa de aveia em flocos
- 1 colher de chá de farinha de feijão branco (extrato de feijão branco)

O iogurte favorece às funções gastrintestinais e, aliado à aveia, proporciona maior saciedade, assim ninguém chegará com fome à festa. A aveia é rica em fibra solúvel (ß-glucana), que, ao se ligar aos ácidos biliares, reduz a absorção de gordura. Já o extrato de feijão branco contém uma glicoproteína chamada faseolamina, capaz de reduzir de maneira significativa a ação da enzima responsável pela digestão de carboidrato, resultando na inibição da absorção de até 20% do carboidrato ingerido.

Importante: o excesso de faseolamina não traz maior perda de peso e pode causar diarréia. O consumo deve ser de 2 colheres de chá por dia, não mais do que esta quantidade.

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

22 de abril de 2010

SAL

Sal faz mal?
O sal contém sódio, iodo e cloro. O sódio é importante para o equilíbrio dos fluidos corporais, para o controle da absorção e transporte de alguns nutrientes e para a transmissão de impulsos nervosos. O problema está no consumo excessivo de sódio, que leva ao edema e ao aumento da pressão arterial.
O corpo necessita de uma quantidade muito pequena de sódio(500mg/dia)para manter as funções orgânicas. Os alimentos já contêm sódio e a quantidade fisiológica deste mineral é atingida por meio do consumo dos mesmos.
Deve-se, portanto, evitar o exagero do sal adicionado na alimentação.Os brasileiros consomem, em média, o dobro da recomendação diária de sal, a qual equivale a uma colher de chá.
Use o mínimo de sal no preparo dos alimentos, substituindo-o por temperos naturais!

EVITE: molhos e temperos industrializados (shoyu, catchup, mostarda, caldo de carne), embutidos (salsicha, mortadela, presunto, lingüiça, salame...), conservas (palmito, azeitona, milho, ervilha..), queijos amarelos, bacalhau, carne seca, defumados e o aditivo glutamato monossódico, utilizado em alguns condimentos e nas sopas de pacote.

MUITO CUIDADO com alimentos “diet”, “light” e “zero” , pois contêm edulcorantes como ciclamato de sódio e sacarina sódica, que elevam o teor de sódio dos alimentos.

Além do controle de sódio, uma dieta rica em potássio também auxilia na redução da pressão arterial.

FRUTAS com grande quantidade de potássio:

•Laranja-pêra
•Maracujá
•Banana
•Melão
•Fruta-do-conde
•Abacate
•Figo
•Jaca
•Mamão
•Goiaba
•Uva
•Kiwi
•Mexerica


OUTROS ALIMENTOS
com grande quantidade de potássio

•Lentilha
•Feijão
•Amendoim
•Amêndoa
•Uva-passa
•Ameixa seca
•Nozes
•Pão integral
•Grão-de-bico
•Avelã
•Soja

Os efeitos da presente orientação só serão efetivos quando associados a uma alimentação equilibrada e não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.
Site Fernanda Magro - Nutricionista Jundiaí